Sozinha na Disney por Marcela França – HOTEL

Olá pessoal! Tudo bem?

Estou um pouquinho nervosa pois essa é “oficialmente” a minha primeira postagem aqui no Expresso Disney (UHUL!).

Se você ainda não leu o último post, clique nesse link.

E acho que, como primeira postagem, precisamos falar sobre Kevin… Ops, sobre uma coisa muito importante chamada: A escolha do Hotel. Então, vamos lá:

A minha escolha de hotel foi uma história meio engraçada. Eu estava na CVC vendo pacote de Hotel para Nova York. Sim! A primeira escolha foi Nova York, não Orlando. Fiz uma rápida analise com o atendente da CVC e escolhemos um hotel. Exatamente na hora que estava entregando meu cartão para pagar, uma vozinha dentro de mim disse: “Cote para Disney”, e falei para o atendente que queria ver quanto daria o hotel para Orlando por 10 dias. O preço acabou sendo x e o de Nova York era 2x. Foi nessa conta rápida de matemática que me deu um pequeno surto de 5 segundos e mudei a escolha de destino e 20 minutos depois paguei o hotel à vista.

 É claro que você deve estar pensando “Mas foi assim?”… É… foi assim! Num pequeno surto eu escolhi o hotel! Então você também deve estar pensando “Então você não escolheu nada e foi no que o atendente falou?”. Calma! Não foi tão assim também! Haha!

Quando vi que o preço de Orlando era mais barato para o dobro de dias, comecei a olhar os hotéis. Fizemos o famoso “Vamos pegar o mapa e analisar e fomos vendo hotel por hotel até achar o melhor para mim.

Como estava sozinha, tive o seguinte pensamento: Preciso ficar num hotel que seja próximo dos parques, tenha transporte pros parques, restaurantes e mercados próximos e o mais importante: em um local movimentado!

 Por quais motivos eu pensei isso?

1)      Próximo aos parques

 Estava sozinha, sem carro e eu passaria mais tempo na Disney do que na Universal. Então era viável ficar num hotel perto da Disney, pois seria mais rápido para chegar, mais perto e não teria que ficar preocupada em ter de sair cedo do parque para voltar pro hotel!

2)      Tenha transportes pros parques

Depois que cheguei na Disney isso meio que foi indiferente, mas no planejamento não foi (depois explico! Hihi). É importante hotéis com traslados pros parques, pois economizamos uma graninha, além de ter o conforto de “dormir” um pouquinho mais sem ter que acordar cedo pra ir pegar ônibus. Além de ser mais cedo.

3)      Restaurantes e mercados próximos

De tudo isso foi o que mais pesquisei e o que mais me deixou preocupada. Sim, pessoal, eu meio magrinha, mas tenho uma fome de Magali! E eu estava com muito medo de passar fome. Alias, levei mais dinheiro de reserva para ter certeza que não ia passar fome! É importante esse detalhe dos mercados e restaurantes porque de noite, quando estamos no hotel, às vezes bate uma fome. Então se tem coisa por perto, não nos arriscamos em andar por ruas desertas no meio da noite atrás de uma refeição! E sobre o mercado, acredite: depois do seu primeiro mercado, você vai voltar lá porque esqueceu algo. É sempre assim! Na primeira eu esqueci DETERGENTE! Alias, foi uma história muito engraçada eu comprando detergente as 00:45 da noite no Walgreens e tentando explicar o que queria pro atendente que não sabia o que significava detergente. Mas essa história fica pra outro dia hahaha.

E por último….

 4)      Local movimentado!

 Mas aí você pensa “Porque?”, porque em lugares movimentados a chance de algo acontecer é menor. Lugares muito afastados ou com pouco movimento são propícios a algo acontecer. E, como sou moradora de São Paulo e tenho um pé no azar, eu sempre penso no pior. Sei que parece trágico, mas é sempre bom se programar e planejar para tudo! Inclusive o pior!

Por fim, o hotel que acabei escolhendo foi o famoso Celebration Suites em Kissimime. O que foi ótimo pois era do lado da Disney, tinha ponto de ônibus, vários restaurantes, farmácia e mercado perto. Além da Old Town, onde passava toda noite lá tomando sorvete!

Imagem relacionada
Foto retirada da internet

 Esse hotel é BBB. Bom, bonito e barato! E, apesar dele ser uma pequena cidade porque ele é muito extenso e aberto, eu gostei muito dele e me senti segura. Claro que nesse “segura”, eu me trancava dentro do quarto para dormir (porque a gente nunca sabe, né?!). O hotel funciona num estilo de “bloquinho”/apartamento. Fiquei num bloco próximo a recepção, do lado da Old Town e de frente pro ponto de ônibus publico e do traslado do hotel.

 O quarto que fiquei era na verdade um apartamento disfarçado que tinha:

  •  Sala – com sofá, TV, armário, poltrona e mesinha de centro! E numa das paredes tinha uma “cama” embutida!
  • Cozinha – com um mini fogão, mesa com cadeiras, um espelho, micro-ondas, maquina de lavar, talheres, copos, pratos, cafeteria e uma geladeira que era do meu tamanho. Eu tenho – SEM RIR, OK ? – 1,57 para vocês terem uma base de como era grande!
  • Banheiro – tinha uma banheira – Ô SARDADE – e secador também.
  • Quarto – esse sim era imenso. Tinha uma cama king de casal, uma pia e dois espelhos, abajur e tinha ferro de passar, tabua de passar e tinha também um cofre. E ah, uma pequena TV. Ainda tinha uma varanda (onde super colocaria uma rede e passaria à tarde se existisse tempo livre em Orlando é claro) que tinha uma mesa e algumas cadeirinhas.

Eu não ouvia barulho mesmo o quarto estando na frente da avenida e do ponto de ônibus. Não tive problemas com o hotel em nenhum aspecto. Gostei bastante e pretendo ficar lá de novo. Fica aqui o detalhe: É um hotel muito bom para família, mas para nós sozinhos também compensa.

O que aprendi com isso foi:

 Sempre fique perto de onde tem comida. Principalmente restaurante 24 horas.

É muito bom ficar perto de lugar para passear.

Sempre ter cuidado ao andar de noite.

Use e abuse da banheira do hotel. É ótimo ficar nela de boa após um dia de parque.

E em caso de medo, as poltronas americanas são boas para segurar portas.

Espero que tenha ajudado vocês!

Quem escreve:

Marcela França. Sou uma futura Jornalista que é apaixonada pelos clássicos da Disney e uma leitora voraz nas horas vagas. Também sou uma aprendiz de viajante que tem aprendido a viajar pelo Brasil e o Mundo sozinha em busca de novos destinos e conhecendo novos amigos. Além disso, sou uma cacheada apaixonada por música e que canta a todo momento (mesmo sem cantar bem, hihi). Espero minhas histórias e experiencias ajudem vocês na sua viagem para esse lugar mágico.

Fique ligado no próximo domingo para mais um post do Sozinha na Disney!