Sozinha na Disney – TRANSPORTE e BUSÃO de ORLANDO

Oi pessoal! Como estão vocês hoje?

Hoje nós vamos falar sobre um assunto muito importante! Peço que se acomodem direirinho no sofá, na cadeira ou sei lá onde vocês estiverem que esse post é muito importante! Vamos falar sobre ônibus em Orlando. Para onde eles vão? Onde vivem? Hoje aqui, no Expresso Disney!

Se você perdeu algum dos posts anteriores, clique nesse link. 

So… Let’s Go!

Os ônibus de Orlando não são um bicho de sete cabeça como todos pensam. Pelo contrário: Eles são práticos, possuem horário certinho para passar e são grandes e espaçosos. Como vocês já perceberam, eu sou de São Paulo! E aqui na minha cidade tem um ditado: Se você anda de transporte público em São Paulo, você sabe andar em qualquer lugar. Verdade seja dita, minha gente. Quando eu fui para Portugal, eu andei de metrô lá. Minha tia, que foi a pessoa que me recebeu lá, só me disse assim: “Aqui é o metrô”. Depois dessa frase eu já aprendi a andar no metrô, ônibus, trem, tudo. Sendo que me aventurei a pegar um trem para outras cidades. Ou seja: transporte público sempre foi minha praia! Por isso, quando eu fui procurar sobre transporte em Orlando, comecei a surtar um pouquinho. Pouquinho não, MUITO. Simplesmente porque não existem relatos de pessoas sobre o transporte lá. E os poucos que tem são de pessoas que usaram só as linhas de ônibus da International Drive. Por isso comecei a procurar feito maluca serviços de transfer.

“Mas porque você não viu para alugar carro, Marcela?”. Porque pessoas… sou uma recém-habilitada (mentira, já tenho mais de um ano de carta) e tenho medo de dirigir por conta disso. Além disso: na época eu tinha 21 anos. Ou seja: tinha acabado de adquirir a maioridade dos Estados Unidos. E seguro/aluguem de carro para menores de 25 anos é beeem mais caro. Então você pensa comigo: 21 anos de idade, recém habilitada, pagando mais que uma fortuna para alugar um carro?

Pois é!… me restou procurar outras opções.

A primeira coisa que procurei foi Uber e Táxi. Encontrei diversas centrais de táxis em Orlando e abaixei o Aplicativo do Uber no celular. Foram muito úteis pois o Uber te dá uma previsão do quanto você vai gastar. O que ajuda no orçamento. Porém acabei não pegando nem um nem outro. Porque? Já, já explico.

Depois dessa pesquisa, comecei a procurar serviços de transfers. E acreditem minha gente, eu encontrei vários mesmo. Mas vários meeesmo! A maioria eram de pessoas brasileiras que moravam em Orlando que realizavam transfers de Aeroporto para Hotel. Mas aí que veio o maior detalhe: todas cobravam extremamente caro. Os serviços que eu tinha pedido era dois dias ida-volta para Universal, transfer Aeroporto/Hotel/Mercado. E mais dois transfers ida e volta para Orlando Eye e Outlet.

A primeira pessoa me cobrou 570 dólares. A segunda 650.

Nessa hora eu só quis chorar. Na mesma hora coloquei a mão no meu Rim e falei “Tchau, querido”, porque a venda dele poderia ser a solução. Fiquei desesperada. E como sempre na minha vida, fiz o que sempre faço nos momentos de desespero: começo a contar a história de maneira divertida para as pessoas enquanto estou rindo, mas chorando por dentro. E foi o que fiz.

Durante o conto dessa história, acabei comentando com um amigo que foi alguns meses antes de mim. Ele me disse que contratou um motorista particular chamando André que era de São Paulo e morava em Orlando. Ele disse que André era gente de confiança e não cobrava caro. E foi aquele velho ditado: pra quem já está na chuva, não vê diferença entre ficar ou sair. Fiz a cotação com ele para o mesmo trajeto e ele me cobrou bem menos. Ficou por cerca de 420 dólares (algo assim).

Eu fiquei com muito receio de fechar com ele porque ainda assim estava achando caro. Mas ai acabei fechando. Acredito que vocês estão pensando “Mas porque não usou Uber?”. Porque eu estava sozinha num país que nunca tinha estado antes. E é muito diferente saber lidar com alguém que fala seu idioma do que alguém que não fala. Por isso fechei com o André. E confesso que não tive nenhum arrependimento. Ele me ajudou em muita coisa. Me ajudou fazendo mercado, me ajudou dando dicas nos parque, tudo. Sempre me mandava mensagem perguntando se eu estava bem e viva. E ele conseguiu deixar minha Patroa (Mãe) despreocupada. Em muitos dos meus roles, ele me ajudou. Principalmente nos que eram de noite. Mas ainda assim, eu quis arriscar andar de ônibus. E é essa a parte que importa nesse post.

Minha ideia de andar de ônibus foi porque eu gosto de andar de ônibus e queria me sentir “nativa”. Como descobri que o ponto de ônibus era na frente do meu hotel, comecei a procurar mais informações sobres os ônibus de Orlando. Consegui entrar no site oficial da linha de ônibus público de Orlando e comecei a ver os destino usando meu bom e velho Google Maps. O que me ajudou muito.

Era um pouco engraçado porque eu sempre pegava o ônibus cedo. Todos os dias por volta das 6:30/7 AM eu já estava esperando o ônibus. E quando meu destino era Disney, sempre estava no ônibus: Eu, o Motorista e os funcionários da Disney. É sério! Chegada no ponto da Disney, geral descia. Era bem engraçado. Mas deixa eu falar do que importa: como funciona o transporte de lá! Para conseguir explicar melhor como funciona, vou dividir em pequenos tópicos, ok?

 

1) Bilhetes

Existem vários tipos de bilhetes. Aos que são de São Paulo, peço que pensem no bilhete Único. Aos que não são, vou explicar. Aqui em SP nós temos um cartão de ônibus chamado Bilhete Único. É um cartão que colocamos crédito e vamos utilizando. A partir do momento que você pega um ônibus e utiliza o cartão, você paga uma passagem. Durante um período de 03 horas, você pode pegar quantos ônibus quiser pelo valor daquela primeira passagem. Ou seja: Eu peguei 4 ônibus pagando apenas uma passagem. Entenderam o sentido da coisa? Ótimo! Porque o ônibus de Orlando é nesse esquema.

A diferença é que em Orlando são vários tipos de cartão e que eles são de papel. Eles são separados assim:

  • O primeiro cartão é o de uma passagem – ele custa dois dólares. Caso você queira pegar mais de um ônibus, ou seja, fazer uma transferência, você precisa avisar ao motorista que ele “alterará” seu cartão para mais passagens sem cobrar por isso.

  • O segundo cartão é chamado de All Day – o preço da passagem é 4,50 dólares. Nesse bilhete você usa quantas vezes quiser durante 24 horas… Até as 03 horas da manhã. É, é estranho.

  • O terceiro cartão é válido para 7 dias – Custa cerca de 18 dólares e possui o mesmo esquema que o do ALL DAY.

Mas devo lembrar a vocês: o dinheiro da passagem precisa ser exato porque o motorista não carrega dinheiro. Ele só dirigi! Em todos os ônibus, bem na entrada, existe uma maquininha na frente do motorista. Lá você deposita o dinheiro e pega seu cartão. Se a passagem é 4,50 dólares, você PRECISA dar 4,50 . Não dê uma nota de 5 dólares pensando que vai ter troco porque não terá. E não adianta fazer barraco.

O bilhete de um trecho e o de um dia, ambos você pode comprar com o motorista, ou na Estação Central ou pela internet no site da LYXN (http://www.golynx.com/buy-tickets/ )

NOTA: Eles enviam para endereços internacionais.

2) Pontos de ônibus

Os pontos de ônibus variam um pouco. O que tinha na frente do meu hotel era tipo uma casinha, como na foto, e tinha bancos, abrigo e água. No que desci na Internacional Drive, tinha só um abrigo e um encosto de ferro. Não tinha lugar para sentar. Em geral todos são bem limpinhos e com iluminação!

3) Os ônibus

 Quem já foi a Europa lhe digo: os ônibus são iguais! A quem não foi: os ônibus que fazem transfer dos hotéis pro parques são os mesmos ônibus da linha pública. E já aos que não foi… Bom… É um ônibus grande. Eles são largos e com poucos lugares para sentar, mas é raro ficarem cheios. Só peguei cheio uma vez no dia que choveu e o ônibus quebrou. Mas não são cheios tipo São Paulo, são cheios que dá para andar de boa e ficar tranquilo. Eles são beeem limpos! E possuem lugar para deficiente e para guardar a bicicleta.

Image result for orlando buses
Imagem retirada da internet

4) Aplicativo para os horários

Como sempre ouvi que os ônibus de lá demoram, procurei na internet algum aplicativo sobre os ônibus de lá e.. TAM, TAM, encontrei! Eu digo pra vocês virem comigo que aqui é negócio certo! Há!

O aplicativo que baixei foi o Orlando Scheldule bus! Esse APP é fácil de usar e ele mostra todas as linhas de ônibus de lá! Em todas linhas mostram os pontos principais – tanto na ida como na volta – e os horários que eles irão parar naquele ponto. Aí que vem a pergunta: “Aham, ok. Mas duvido que seja honrado esse horário”. Gente, o horário é honrado. Não é brincadeira e nem primeiro de Abril. Eles realmente respeitam o horário.

Se o ônibus vai passar no ponto às 6:38 e ele chegou 6:36, ele fica lá parado de portas abertas até das 6:38! Eu sei porque vi! Eu presenciei. Eu sou a Lenda.. Opa, errei! Hahaha. É sério: funciona mesmo. Palavra de viajante!

Além disso, algumas linhas o tempo de “espera” de cada ônibus é de 30 minutos a 1 hora; Varia de linha, ok? Mas em geral é de 30 em 30!

5) Rotas

Para saber as rotas dos ônibus eu usei o meu lindo salvador Google Maps (não sei o que seria sem ele, sério!) e os mapinhas que ficam no ônibus. São vários mapinhas para cada região! E eles mostram os caminhos e interligações entre si! A estação central fica no centro de Orlando! E tem uma outra em Kissimmee, onde fica a estação de trem também! De lá você pega bus para todos os cantos!

Image result for kissimmee buses lynx
Imagem retirada da internet

Essa companhia de ônibus que usei é a LYXN. A da cidade de Orlando! Ela não é como a I Ride Trolley, que é a que circula na International Drive. Na próxima viagem vou testar essa e conto a vocês.

Fora os ônibus normais da cidade, vale lembrar que dentro do complexo da Disney, qualquer um (sendo hóspede dos hotéis ou não) pode usar os trasportes gratuitos internos que são desde ônibus, barco e até monorail.

E nisso, para finalizar vou contar uma coisa que aconteceu comigo quando eu queria ir para o Animal Kingdom beeeem cedinho para uma reserva de café da manhã e decidi utilizar tanto o transporte público de Orlando, quanto o transporte interno da Disney para chegar lá.

Acordei bem cedo, peguei meu bom e velho ônibus público de Orlando e cheguei naquele espaço de onde sai os ônibus, trens e barcos pros parques da Disney (Transportation & Tickets Center na área do Magic Kingdom). Quando cheguei, perguntei como fazia para ir ao Animal K. O atendente todo sorridente (porque sabia que ia me lascar logo mais, miserável!) me disse: “Você pega o trem e desce na estação depois do hotel”. Ok! Peguei o trem. Sentei-me lá e fiquei esperando. Chegou o ponto do hotel, chegou o ponto do outro hotel, chegou o ponto do Magic K, chegou o ponto do ponto que eu tinha entrado, aí voltou o ponto do hotel… Aí minha cabeça bugou:

Cadê o ponto do Animal K, MOÇO? Desci como uma Lady do trem e perguntei a um mocinho:

– Onde desço pro AK?
– Ah, moça, você desce no Hotel e de lá você pega o ônibus para o Animal K.
– Que ônibus?

Foi aí que descobri que para eu ir ao AK eu precisaria descer em algum hotel Disney e LÁ pegar o ônibus. Ok! Eram 07:25. mas pensei que taria tempo.

Desci no Hotel e quando coloquei o pé na calçada, tive aquele momento lindo que tenho todas as manhãs nessa minha linda cidade: o ônibus estava indo embora. Eu, como uma boa Lady Paulistana, fiz o que todo bom paulistano faz: corri atrás do ônibus. E o ônibus, como todo bom motorista de São Paulo, fez o que todo bom motorista Paulistano faz: ignorou-me e foi embora. Nesse momento, minha gente, eu não sabia se chorava ou se pulava de raiva ou chorava mais ainda ou batia no atendente sorridente. Porque? Porque se você não comparece na reserva, você paga uma multa de 10 dólares. E esse dinheiro era 5 dias de passagem de ônibus público.

Cheguei ao ponto de ônibus e encontrei uma mocinha que orientava os visitantes sobre os transportes. Contei minha história para ela, e ela disse: “Ah, mas o que mais tem é ônibus pro Animal K. Fica tranquila”. Eu fiquei 20 minutos naquele ponto. Veio 07 ônibus, um atrás do outro para o Hollywood Studios, MENOS pro Animal K. Acho que foi daquele momento que começou a minha raiva pelo HS… Mas essa é outra história.

No fim das contas, cheguei no parque um pouco atrasadinha mas acabou dando tudo certo. O final completinho dessa história eu contei nesse post.

Logo, para usar os transportes Disney aqui vai a fórmula mágica:

Pegue Ônibus, uber etc até um hotel da Disney e de lá pegue o ônibus Disney para o parque que deseja ir.

Se você estava dependendo de transfers que iam até os parques como eu, vá até o parque e de lá pegue um Ônibus até um hotel ou outro parque desejado.

 

Espero que esse relato ajudem e incentivem a todos a usarem o busão de lá, principalmente aos que vão sozinhos! Beijo e até a próxima 🙂

Quem escreve:

Marcela França. Sou uma futura Jornalista que é apaixonada pelos clássicos da Disney e uma leitora voraz nas horas vagas. Também sou uma aprendiz de viajante que tem aprendido a viajar pelo Brasil e o Mundo sozinha em busca de novos destinos e conhecendo novos amigos. Além disso, sou uma cacheada apaixonada por música e que canta a todo momento (mesmo sem cantar bem, hihi). Espero minhas histórias e experiencias ajudem vocês na sua viagem para esse lugar mágico.